sábado, 23 de maio de 2009

"Lágrimas ocultas"


Se me ponho a cismar em outras eras
Em que ri e cantei, em que era querida,
Parece-me que foi noutras esferas,
Parece-me que foi numa outra vida...



E a minha triste boca dolorida,
Que dantes tinha o rir das primaveras,
Esbate as linhas graves e severas
E cai num abandono de esquecida!



E fico, pensativa, olhando o vago...
Tomo a brandura plácida dum lago
O meu rosto de monja de marfim...




E as lágrimas que choro, branca e calma,
Ninguém as vê brotar dentro da alma!
Ninguém as vê cair dentro de mim!



Minha querida Florbela...
Ninguém me compreende melhor que ela!!

6 comentários:

*B* disse...

Gosto tanto!

Tenho sempre o 'Sonetos' dela por perto!


Beijinho, querida!

Ânimo*

Swadharma disse...

Ágape... olha, um distico só para ti:

Não cites a Florbela,
Tu és mais forte que ela!

Beijo*
=)

Ágape disse...

*B*,

Eu tenho TODAS as obras da nossa querida Florbela... Em cada momento há sempre um que me serve!! :)

Beijinho

****************

SWAD!!!!!

SO TU para me fazeres rir à gargalhada num dia como este!!!

DOIDO!! :)

OBrigada :)

Beijinho

andreia disse...

Adorei...Esta lindo...
beijinhos

*B* disse...

É curioso: Florbela nunca me deprime, acreditas? Seja qual for o meu humor, nunca me deprime!

Ânimo, querida!

Vá lá!

Beijinho*

Ágape disse...

Andreia,

Obrigada por me visitares ;)

**************

*B*,

NUNCA!!! A mim tb NUNCA me deprime. Antes pelo contrário: Alivia-me a alma!!!

Ela e o Swadharma!! ;)

Beijinho